Publicado por: Amália Sousa | Setembro 2, 2008

Biodiesel uma alternativa?

A crise energética provocada pela escassez de petróleo, tem levado a que se procurem as mais diversas alternativas.

O biodiesel tem sido uma das soluções mais procuradas. Esta solução parece, à primeira vista, muito viável e até vantajosa; O biodiesel é um substituto do diesel, que apresenta queima limpa e deriva de fontes naturais e renováveis como os vegetais.

Tal como o diesel derivado do petróleo, o biodiesel opera em motores de ignição-combustão, não sendo necessário efectuar grandes alterações nos ditos motores. 

Apresenta ainda vantagens relativamente às emissões,  e como tem ponto de fusão e de ebulição mais elevado do que o diesel derivado de petróleo, torna-se mais seguro no que respeita ao seu armazenamento e transporte.

O biodiesel pode ser usado sozinho ou misturado em qualquer proporção com diesel do petroleo, aumenta a vida útil dos motores, é biodegradável e não é tóxico.

A produção é fácil, tão fácil que pode até ser produzido em pequena escala a nível doméstico:

A produção de biodiesel efectua-se por meio de uma reacção química denominada transesterificação. No caso abaixo, os triacilgliceróis de origem animal ou vegetal, reagem com o metanol na presença de um catalizador, produzindo glicerol (subproduto), e o éster metílico de ácido gordo (biodiesel).

O triacilglicerol, por seu turno, é o nome genérico que se dá a qualquer tri-éster oriundo da combinação do glicerol (um trialcool) com ácidos, especialmente ácidos gordos. Triacilglicerois são portanto reconhecidos como gorduras ou óleos, animais ou vegetais.

Então, com todas estas vantagens, qual é o problema?

Produzido, assim, em grande escala, parecia ser a solução mais do que ideal.

Onde e como poderemos  arranjar grandes, enormes, quantidades de óleo e alcool?

Cana de açúcar,  soja, girassol ou trigo, claro está, produzidos em grandes quantidades, o que significa provavelmente, monocultura.

A monocultura é o plantio extensivo de um único vegetal. 

As desvantagens ambientais ocorrem porque, com o tempo, o solo esgota-se, para além  de reduzir a biodiversidade.

As desvantagens sociais ocorrem porque reduz o uso da mão-de-obra no campo e afugenta as populações rurais.

E ainda há desvantagens económicas, por apresentar enormes riscos, já que uma única doença ou praga ou a queda do preço do produto no mercado podem pôr a perder toda a cadeia produtiva regional.


Responses

  1. […] da indústria de sabão, actualmente  também se obtém como subproduto da produção de biodiesel e subproduto da fabricação de propileno (glicerol […]


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: