Publicado por: Amália Sousa | Outubro 1, 2008

Hidrogénio, o combustível das estrelas

“O único mistério do Universo é o mais e não o menos.

Percebemos demais as causas – eis o erro, a dúvida.

O que existe transcende para mim o que julgo que existe.

A realidade é apenas real e não pensada.”

Fernando Pessoa, “Poemas inconjuntos”, em Ficções do Interlúdio

O Sol converte, por fusão nuclear, aproximadamente 600 milhões de toneladas de hidrogénio em hélio por segundo, mantendo desta forma a vida  na Terra.

Esta energia produzida pelo Sol é equivalente a 5 biliões de bombas de hidrogénio por segundo.

Para comparar,  a primeira bomba atómica, de urânio, que explodiu sobre a cidade de Hiroshima, tinha uma potência de 20 000 toneladas de TNT (tri-nitro-glicerina).

Uma bomba de hidrogênio tem uma potência de 20 milhões de toneladas de TNT.

De há quatro décadas a esta parte, a Europa investiu num grande esforço de investigação sobre esta energia do futuro.

A ambição sem precedentes da fusão é a reprodução, de forma controlada, do gigantesco processo de produção de energia desenvolvido no universo estelar através da fusão de núcleos de hidrogénio com núcleos mais pesados de hélio.

 


Responses

  1. adorei saber das estrelas

  2. Por não saber fazer um comentário no momento, prefiro repetir as palavras do mestre que, na sua época, já sabia das milhares e milhares de galáxias criada pelo Criador e dizia: Na cada do meu Pai há muitas moradas! Jesus de Nazareth.

  3. Aprender, sempre é maravilhoso.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: