Publicado por: Amália Sousa | Outubro 9, 2008

Geber, Alquimia e sabão

GEBER (c. 721- c. 815)
Pai das alquimias árabe e europeia. Muito influenciado pelo misticismo shi’ita. Considerado a mais importante fonte da alquimia medieval. Ocupa-se do problema clássico da geração dos metais a partir do mercúrio e do enxofre. A numerologia talismânica é fundamental à sua doutrina da Pedra Filosofal.

Geber, publicou a sua obra Summa perfectionis na qual fala de certo Elixir vermelho, espécie de panaceia, destinada a sanar todas as enfermidades e prolongar a vida:  tal foi o ponto de partida do alquimismo (ou Alquimica ou Alquimia).

Além deste primeiro intento, os alquimistas visavam outro: a transmutação dos metais, fabricar ouro, metal precioso, com outros metais   desprezíveis.

Por causa da importância que conferiam aos seus trabalhos, os alquimistas diziam-se filósofos, cultivavam a filosofia hermética sendo Hermes (Mercúrio) o seu mestre, e chamavam pedra filosofal à solução dos seus dois problemas fundamentais.

O vulgo, o povo, a plebe, chamava-lhes sopradores, nome com o qual pretendiam ridicularizar a sua habitual ocupação de soprar vidro, de preparar retortas e aparelhos de vidro para as experiências.

Eles não eram própriamente investigadores: deixavam-se guiar por grosseiras superstições, acreditando na utilidade mágica de palavras misteriosas e na influência benéfica de números cabalísticos…

O vulgo, dando credito a esses erros , grosseiros, tinha horror dos alquimistas que, segundo era crença geral, deviam manter ocultas relações com o espirito das trevas…

Cumpre dizer que nem todos os que se entregavam aos trabalhos da alquimia, acreditavam na possibilidade de verdadeiras transmutaõees e na descoberta do elixir da longa vida, alguns não eram mais do que simples especuladores ou moedeiros falsos que, longe de procurarem a pedra filosofal, queriam apenas utilizar-se da descoberta acidental de alguma reacção que pudesse emprestar a certos metais os falsos atributos do ouro…

Compreende-se que, para a realização de tão vasto programa, ou, antes, para dar pasto a tão desenfreadas ambições, seria necessário revolver a natureza inteira no que ela tivesse de mais recondito, desmaiar de fadiga e desespero em face do impossível, e erguer-se de novo, na febre do delírio, para recomeçar pela milésima vez a tarefa empreendida ou a série das suas horríveis decepções…

Aos alquimistas não faltavam os requisitos para essa luta formidável e desigual.

Procedendo sem método, confiando nos favores do acaso, não hesitavam um só momento em consumir a ultima moeda de cobre em favor dos seus ensaios, sepultavam-se vivos em laboratórios tenebrosos e insalubres, onde envelheciam prematuramente diante da fornalha e do cadinho…

Mas a fornalha e o cadinho eram inexoraveis.

 Neles só encontravam novas decepções representadas por escórias informes…

Se, porém, os alquimistas trabalharam debalde na ambiciosa conquista de um objetivo inacessível, justo é que se pergunte qual o papel por eles representado no desenvolvimento da química, e que motivo lhes dá o direito de aparecerem na história desta ciência…

O que faz dos alquimistas os representantes da primeira época da história da química, são os importantes descobrimentos, embora acidentais, que eles foram fazendo na sua longa viagem, atraídos por um farol enganador…

 Apesar do carácter fortuíto dos seus descobrimentos, não podem ser esquecidos na história da química.

As suas tentativas embora não passassem de um sonho,  levaram à descoberta de muitos produtos químicos e novas técnicas, tais como a sublimação e a destilação.

O alquimista árabe Geber (Jabir Ibn Hayyan), em escrito do século VIII da Era Cristã, também menciona o sabão como agente de limpeza.

 

 


Responses

  1. Comentário que acredito ser recebido com muita satisfação por todos aqueles que desejam saber mais da ciência que é a alquimia. O primeiro comentário é que o alquimista Mateus se encontra no Brasil desde o dia 27/08/2004, e possivelmente lançara seu livro de nome “A luz da alquimia” aqui no Brasil. A quem tiver interesse e saiba de algo ou apenas queira comentar, procure nossa comunidade no Orkut… comentário por: B.L.S, obrigado…


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: